Diagnóstico diferencial da dissecção de aorta como causa de dor torácica aguda: síntese de evidências clínicas

Laís Sette Rostirola, Gabriel Antonio da Costa Nunes, Mateus Henrique Reinato, Felipe F. Pires Barbosa

Resumo


Introdução: A dissecção é uma das condições clínicas mais comuns que atingem a artéria aorta, e a maioria dos casos exige correção cirúrgica com urgência. Porém, muitos casos não são diagnosticados adequadamente, contribuindo para a escassez de informações sobre o diagnóstico diferencial da doença. Objetivo: Realizar uma revisão da literatura buscando evidenciar os critérios para realização do diagnóstico diferencial da dissecção de aorta. Método: A busca foi realizada com a ferramenta Publish or Perish utilizando a estratégia de busca “aortic dissection” AND “differential diagnosis”. Resultados: O presente trabalho revisou 11 artigos científicos. Síntese de Evidências: A presença de dor torácica é comum na dissecção aórtica, embora a arterite possa mimetizar a condição. Os exames de imagem, especialmente a ecocardiografia transesofágica, são indicados para o diagnóstico, e a elevação do segmento ST também é um achado comum. Para dissecções do tipo A, com alta taxa de mortalidade, a cirurgia corretiva é a indicação. Já para as dissecções do tipo B, o foco é o controle da dor, da frequência cardíaca e da pressão arterial. Por fim, a dosagem sérica de fibrina / fibrinogênio pode ser um marcador útil para diferenciar a dissecção da aorta e o acidente vascular encefálico isquêmico agudo.

Palavras-chave


Clínica Médica; Diagnóstico; Dissecção de Aorta; Angina.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.