Diagnóstico pré-natal de atresia gastrintestinal fetal: relato de caso

Bruna Maia Bollani, Atílio Brisighelli

Resumo


Introdução: As obstruções gastrintestinais congênitas são condições clínicas cirúrgicas, que podem ocorrer devido à má formações, como por exemplo, a atresia gastrintestinal, ou como consequência da presença de conteúdo intestinal espesso, compressão extrínseca por uma massa, volvo intestinal, ou ainda por alterações do peristaltismo dos intestinos. Objetivo: Relatar o caso de um feto com diagnóstico pré-natal de atresia do trato gastrintestinal. Método: A gestante foi atendida no Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus (HUSF), localizado na cidade de Bragança Paulista – SP, quando então a Atresia Gastrointestinal Fetal (AGF) foi diagnosticada por meio de um achado ultrassonográfico raro, definido como “Sinal da Dupla Bolha”. Conclusão: A presença de bolha gástrica dupla na ultrassonografia (USG) caracterizou a atresia do trato gastrintestinal do feto aqui relatado. A combinação de pâncreas anular e divertículo de Meckel, também presente em nosso paciente, é um evento extremamente raro, sendo a intervenção cirúrgica necessária para sua correção. A USG fetal é um exame simples, realizado rotineiramente durante a avaliação pré-natal, e suficiente para o diagnóstico da atresia do trato gastrintestinal, que deve ser corrigida cirurgicamente o quanto antes para evitar maiores complicações ao recém-nascido.


Palavras-chave


Ginecologia; Obstetrícia; Atresia Gastrintestinal Fetal; Ultrassonografia, Sinal da Dupla Bolha.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.