Diagnóstico e tratamento do melanoma vaginal: relato de caso

Sophia Helena Dal Rio Gomes, Attilio Brisighelli Neto

Resumo


Introdução: Os melanomas com localização genital estão incluídos na categoria de neoplasias raras, e o melanoma vaginal é uma condição ainda mais rara, respondendo por menos de 0,05 a 0,1% das neoplasias genitais. A mortalidade dos melanomas vulvovaginais tem se mantido quase constante nas últimas décadas, e um fator que pode contribuir para a elevada mortalidade é a ausência de diretrizes terapêuticas específicas. Isso torna o diagnóstico do melanoma vaginal bastante desanimador, visto que, normalmente, está associado a um péssimo prognóstico. Objetivo: Relatar um caso raro de melanoma vaginal atendido em nosso Serviço. Método: Trata-se do relato do caso de uma paciente atendida no Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus – HUSF, situado na cidade de Bragança Paulista, SP. A paciente foi contatada pelos pesquisadores e assinou um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido autorizando a realização da pesquisa. Conclusão: A paciente, de 64 anos, possuía um melanoma vaginal localmente avançado, assim como uma possível metástase pulmonar à distância. O diagnóstico foi realizado com o auxílio de exames de colposcopia, toque vaginal bimanual, estudos anatomopatológicos e imunohistoquímicos. O estadiamento da neoplasia foi detectado por tomografias computadorizadas da pelve, abdome e tórax, assim como por ultrassonografia da região inguinal. A paciente não foi submetida à cirurgia, optando por um tratamento quimioterápico paliativo com dacarbazina e radioterapia.

Palavras-chave


Ginecologia, Câncer, Melanoma, Vagina

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.