https://ijhmreview.org/ijhmreview/issue/feed International Journal of Health Management Review 2022-06-13T15:14:52-03:00 Altieres de Oliveira Silva publisher@alumniin.com Open Journal Systems <p>A revista <strong>International Journal of Health Management Review (</strong><strong>JHM Review) </strong>está inserida no meio científico diante de um momento de reflexão sobre os desafios da gestão dos sistemas de saúde no Brasil e no mundo, visto que, os recursos em saúde estão cada vez mais escassos, o que torna um desafio tanto para esfera pública como privada. Este periódico é editado pela <a href="https://alumniin.com/inicio/" target="_blank" rel="noopener"><strong>Editora ALUMNI IN</strong></a>.</p> <p><strong>e-ISSN: 2526-1606</strong> | Ano de criação: 2015 | Área do conhecimento: <strong>Interdisciplinar e áreas correlatas</strong>| <strong>Qualis: B3</strong> (2013-2016).</p> <p>As mudanças que aparecem nos ambientes político, social, cultural, ambiental, tecnológico e econômico nos diversos países, refletem na maneira de gerenciar os recursos de saúde, demandando soluções práticas, claras e objetivas no cotidiano dos administradores inseridos nos sistemas de saúde.</p> <p>Neste contexto, a <strong>IJHMReview</strong> pretende contribuir com pesquisas voltadas a essas questões práticas, trazendo o conhecimento e entendimento científico de como melhorar a gestão em saúde, favorecendo a qualidade da assistência, otimização de recursos em saúde e consequentemente melhora da qualidade de vida das populações. Logo, os temas de interesse são:</p> <p>• Gestão em Saúde na prática do administrador hospitalar: aspectos estratégicos, táticos e operacionais;</p> <p>• Organização formal e informal dos serviços de saúde: liderança, negociação, comunicação, cultura;</p> <p>• Desafios, tendências e aspectos estratégicos na gestão de sistemas de saúde;</p> <p>• Gestão da qualidade dos serviços de saúde;</p> <p>• Gestão de custos dos serviços de saúde;</p> <p>• Aspectos e tendências das Políticas Públicas de Saúde, Saúde da Mulher, Saúde do Homem, Doenças Sexualmente Transmissíveis, Vigilância Epidemiológica e Sanitária, dentre outras;</p> <p>• Empreendedorismo e inovação no setor de saúde;</p> <p>• Gestão tecnológica no setor de saúde;</p> <p>• Gestão de Operações em Saúde;</p> <p>• Sistemas de informação gerencial em saúde;</p> <p>• Sustentabilidade do Setor Saúde;</p> <p>• Gestão de Crises nos sistemas de saúde;</p> <p>• Logística operacional no setor saúde; </p> <p>Como uma publicação científica, a <strong>IJHMReview</strong> prioriza estudos científicos, tanto empíricos quanto teóricos e relatos técnicos (trabalhos de caráter prático/técnico), casos reais ocorridos nos serviços e sistemas de saúde.</p> <p>A <strong>IJHMReview</strong> publicará artigos nos idiomas português, inglês e espanhol.</p> <p>A submissão de artigos ocorre exclusivamente por meio desta plataforma eletrônica, sendo que tais trabalhos serão avaliados por pares no sistema blind review.</p> https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/314 Usos Clínicos da Fluoresceína na Prática Médica: Revisão da Literatura 2022-06-01T19:13:20-03:00 Ageu Oliveira Rodrigues publisher@alumniin.com Fabio Marinho Lutz Motta publisher@alumniin.com Rafael Guzella de Carvalho publisher@alumniin.com Renato Ribeiro Nogueira Ferraz publisher@alumniin.com Francisco Sandro Menezes Rodrigues publisher@alumniin.com <p><strong>Introdução:</strong> A fluoresceína sódica (FS) é um corante, do tipo xanteno, utilizado no campo cirúrgico tanto para procedimentos oftalmológicos quanto neurocirúrgicos; neste último caso atualmente sendo aplicado à delimitação de barreira hematoencefálica (BHE) em caso de rompimento desta por diversos tipos de tumores cerebrais, como os gliomas.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Realizar uma revisão da literatura sobre os usos clínicos da fluoresceína na prática médica.</p> <p><strong>Método:</strong> Foi realizado um levantamento bibliográfico nas bases de dados Scielo e Lilacs com a ferramenta computacional <em>Publish or Perish</em>. Resultados: O uso da fluoresceína sódica se mostrou eficaz no processo de ressecção tumoral total (GTR) dos tumores cerebrais com boa margem de segurança e alta especificidade, graças a seu alto potencial de acúmulo nas regiões de ruptura de BHE e delimitação de região tumoral com precisão.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> O uso da fluoresceína sódica pode ser empregado tanto na oftalmologia quanto na neurocirurgia.</p> 2022-06-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/315 Reconstrução De Canto Medial Palpebral Após Celulite Necrosante Periorbitária Com Retalho Glabelar E Cantopexia Com Fixação Transnasal Com Fio De Aço 2022-06-13T15:14:52-03:00 Pedro Henrique de Paula Nunes Pinto publisher@alumniin.com Sheila Cover publisher@alumniin.com Lucas Strufaldi Nunes publisher@alumniin.com Guilherme Baptista Rosalém Fraga publisher@alumniin.com <p>A reconstrução palpebral é uma área complexa e delicada da cirurgia plástica, principalmente em lesões que acometem o canto medial envolvendo o aparelho lacrimal, ligamento cantal medial e lamela anterior e posterior. Sendo os defeitos dessa região normalmente decorrentes de tumores cutâneos ou trauma. Objetivou-se com este trabalho descrever um caso de reconstrução com retalho glabelar associado à cantopexia superior e inferior com fixação transnasal com fio de aço. O caso aqui relatado demonstra a complexidade e o desafio provocado por uma lesão de canto medial da pálpebra de origem não neoplásica, com múltiplas estruturas para serem reconstituídas. O relato demonstra a necessidade da individualização do tratamento, tendo como decisão final para o planejamento cirúrgico, a condição clínica e a prioridade gerada pelo quadro de base da paciente. Das diversas possibilidades de reconstrução, optou-se pela cobertura do defeito com retalho glabelar, por conta de sua versatilidade, facilidade de execução e irrigação local abundante de boa confiabilidade vascular randomizada.</p> 2022-06-10T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/299 Diagnóstico e tratamento do melanoma vaginal: relato de caso 2022-01-11T15:21:39-03:00 Sophia Helena Dal Rio Gomes naodisponivel@email.com Attilio Brisighelli Neto naodisponivel@email.com <p><strong>Introdução:</strong> Os melanomas com localização genital estão incluídos na categoria de neoplasias raras, e o melanoma vaginal é uma condição ainda mais rara, respondendo por menos de 0,05 a 0,1% das neoplasias genitais. A mortalidade dos melanomas vulvovaginais tem se mantido quase constante nas últimas décadas, e um fator que pode contribuir para a elevada mortalidade é a ausência de diretrizes terapêuticas específicas. Isso torna o diagnóstico do melanoma vaginal bastante desanimador, visto que, normalmente, está associado a um péssimo prognóstico.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Relatar um caso raro de melanoma vaginal atendido em nosso Serviço.</p> <p><strong>Método:</strong> Trata-se do relato do caso de uma paciente atendida no Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus – HUSF, situado na cidade de Bragança Paulista, SP. A paciente foi contatada pelos pesquisadores e assinou um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido autorizando a realização da pesquisa.</p> <p><strong>Conclusão</strong>: A paciente, de 64 anos, possuía um melanoma vaginal localmente avançado, assim como uma possível metástase pulmonar à distância. O diagnóstico foi realizado com o auxílio de exames de colposcopia, toque vaginal bimanual, estudos anatomopatológicos e imunohistoquímicos. O estadiamento da neoplasia foi detectado por tomografias computadorizadas da pelve, abdome e tórax, assim como por ultrassonografia da região inguinal. A paciente não foi submetida à cirurgia, optando por um tratamento quimioterápico paliativo com dacarbazina e radioterapia.</p> 2022-01-11T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/300 Usos clínicos do fitoterápico da erva-baleeira (Varronia curassavica jacq.): revisão da literatura 2022-01-11T15:21:41-03:00 Gustavo Saad S. El Toghlobi naodisponivel@email.com Rafael Augusto Arantes naodisponivel@email.com Beatriz Gianini Knudsen naodisponivel@email.com Ricardo Tabach naodisponivel@email.com Marcos Aurélio Almeida Pereira naodisponivel@email.com Rafael Guzzela de Carvalho naodisponivel@email.com Renato Ribeiro Nogueira Ferraz naodisponivel@email.com Francisco Sandro Menezes Rodrigues naodisponivel@email.com <p><strong>Introdução:</strong> A Erva-baleeira (Varronia curassavica Jacq.) é uma planta medicinal e aromática originária do Brasil. A espécie pertence à família Boraginaceae e tem grande relevância econômica devido ao óleo essencial presente em suas folhas. A planta possui importantes ações, como atividade contra o mosquito Aedes aegypti, no entanto, seu principal efeito é anti-inflamatório.</p> <p><strong>O objetivo</strong> desta revisão bibliográfica foi elencar as principais características e efeitos terapêuticos da Varronia curassavica Jacq.</p> <p><strong>Método:</strong> O trabalho foi realizado a partir da busca online, entre junho e agosto de 2020, de artigos científicos publicados em inglês e português entre 2000 e 2020 nas bases de dados de saúde pública “PubMed”, “LILACS” e “SciELO”, onde foram usados os descritores: Cordia; Plantas Medicinais; Fitoterapia. Resultados: Existem registros do uso da erva-baleeira por comunidades tradicionais para tratamento de inflamações, mialgia, artrites, reumatismos, úlceras estomacais e como tônico para contusões. Ela também tem uso citado como cicatrizante em feridas e regiões inflamadas. Popularmente, o uso é feito a partir das folhas em forma de infusão, decocção, pomadas, tinturas, extratos hidroalcoólicos e cataplasmas.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> A Erva-baleeira é uma planta medicinal com grande emprego fitoterápico. Seu uso advém principalmente de seu importante efeito anti-inflamatório. Novos estudos sobre as propriedades terapêuticas da Erva-baleeira são necessários, a fim de explorar suas potenciais aplicabilidades clínicas e corroborar cientificamente o uso da erva já popularmente consagrada.</p> 2022-01-11T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/301 Comparação entre os efeitos da utilização de vitaminas do complexo B ou antioxidantes na prevenção e progressão na doença de Alzheimer: síntese de evidências 2022-01-14T16:17:43-03:00 Keith Elektra de Souza Santos naodisponivel@email.com Renato Ribeiro Nogueira Ferraz naodisponivel@email.com <p><strong>Introdução:</strong> O envelhecimento é um processo contínuo no qual ocorrem diversas alterações fisiológicas, podendo levar ao comprometimento cognitivo desses indivíduos, sendo a doença de Alzheimer a demência mais comum entre os idosos. É caracterizada uma patologia de caráter neurodegenerativa, progressiva e irreversível. A nutrição parece estar relacionada com papel protetor na doença, e a utilização de vitaminas do complexo B e antioxidantes vem demonstrando perspectivas interessantes.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Comparar a utilização de vitaminas do complexo B ou antioxidantes como agente protetor no suporte nutricional a pacientes com doença de Alzheimer.</p> <p><strong>Método:</strong> Foi realizada uma revisão da literatura por meio da ferramenta computacional Publish or Perish, selecionando apenas aqueles estudos de maior relevância.</p> <p><strong>Síntese de Evidências:</strong> Fundamentado nos artigos selecionados podemos constatar que a dieta é um fator de grande importância na prevenção da doença de Alzheimer, atuando no controle dos fatores de risco como hiperhomocisteínemia, hipercolesterolemia e devido a ação protetora dos antioxidantes, porém ainda são inconclusivos os estudos com relação a melhora e progressão da doença.</p> 2022-04-07T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/302 O uso de canabinoides no tratamento da dor em pacientes com doença falciforme 2022-02-02T12:19:54-03:00 Bruna Chati Gomes naodisponivel@email.com Regina M. Holanda De Mendonça naodisponivel@email.com Mônica Pinheiro de Almeida Verissimo naodisponivel@email.com <p>A Doença Falciforme (DF) é caracterizada por dor crônica com crises vaso oclusivas dolorosas aguda intermitente. Recentemente, vários novos medicamentos demonstraram eficácia na prevenção ou redução da frequência de crises de dor vaso-oclusiva. No entanto, as terapias para a dor crônica na DF permanecem pouco investigadas. Os opioides continuam sendo base do tratamento, apesar das desvantagens que incluem constipação, prurido, depressão respiratória e risco de dependência. Dentre as opções para o tratamento de várias condições dolorosas, os canabinoides têm sido cada vez mais considerados e podem ser uma opção para o tratamento da dor na DF. O objetivo deste estudo foi determinar a extensão do uso de Cannabis sativa para o alívio da dor e outros sintomas e seus efeitos colaterais em pacientes com DF.</p> <p>O <strong>presente estudo</strong> utilizou a plataforma PubMed, conduzindo uma revisão de literatura a partir de pesquisas bibliográficas de artigos publicados utilizando com descritores “cannabinoid and sickle cell disease”, “cannabis and sickle cell disease” e “marijuana and sickle cell disease”.</p> <p>Os estudos estabelecem uma base lógica para a investigação dos possíveis efeitos terapêuticos da C. sativa ou canabinoides na DF. A maconha medicinal pode reduzir o uso ilegal de maconha e os riscos e custos relacionados para pacientes com doença falciforme.</p> 2022-04-07T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/303 Análise da reorganização de processos no atendimento de pacientes suspeitos de covid-19 em um pronto atendimento especializado em otorrinolaringologia e oftalmologia 2022-02-18T17:38:52-03:00 Sirley Lima de Mendonça naodisponivel@email.com Antônio Pires Barbosa naodisponivel@email.com <p>Em dezembro de 2019 surgia uma nova infecção, de etiologia desconhecida e assustadoramente contagiosa, causada pelo vírus SARS-CoV-2. Diante deste cenário, otorrinolaringologistas e oftalmologistas apresentam alto risco de contágio e disseminação, pois realizam procedimentos em contato direto com mucosas que geram aerossóis e gotículas. Possíveis manifestações da COVID-19, como alterações das vias aéreas superiores, perda do olfato e paladar, além de alterações oculares, induzem os indivíduos suspeitos a procurarem estes serviços. Há ainda, pacientes assintomáticos que buscam atendimento, devido a queixas relacionada às especialidades, levando profissionais da saúde à exposição ocupacional. Assim, a Organização Mundial de Saúde (OMS), ressalta a necessidade da reorganização nos estabelecimentos de saúde, como a criação de serviços de triagem, o uso de EPIs e treinamento dos profissionais de saúde.</p> <p><strong>Este estudo se propôs</strong> a identificar mudanças do pronto atendimento especializado em otorrinolaringologia e oftalmologia, na reavaliação e criação de novos processos com intuito em demonstrar a competência na prática do trabalho. Para tal, conduziu-se um estudo de caso único, com abordagem qualitativa e descritivo, guiado por entrevistas semiestruturadas com 21 profissionais da saúde, além de análise de documentos internos e de um vídeo institucional.</p> <p><strong>Como resultados</strong>, foram selecionados 255 trechos de narrativas, vinculadas a 21 códigos, agrupados em 7 categorias. O estudo permitiu identificar combinações de evidências relacionadas aos fluxos de pacientes suspeitos, mudanças estruturais, treinamento, dimensionamento e utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), considerados essenciais para redução da transmissão nosocomial.</p> 2022-02-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/305 Reconstrução do ligamento cruzado anterior com a utilização de enxerto do tendão patelar: revisão de ensaios clínicos 2022-02-25T15:18:11-03:00 Ivan Rocha Matiola naodisponivel@email.com <p><strong>Introdução:</strong> Em muitos países, a incidência de lesões que necessitam de reconstrução do ligamento cruzado anterior (LCA) tem aumentado constantemente. Uma vez que uma lesão do LCA é diagnosticada, o procedimento cirúrgico padrão-ouro, a reconstrução, é o mais indicado. Para tanto, o uso de diferentes enxertos pode resultar em resultados diferentes e, por isso, a seleção desses enxertos pelo cirurgião é um ponto importante a ser discutido. Dentro deste contexto, existem três principais tipos de enxertos para reconstrução do LCA: auto enxertos, aloenxertos e enxertos sintéticos, sendo os auto enxertos do tendão patelar (TP), os mais amplamente utilizados.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Avaliar ensaios clínicos que discutam sobre as técnicas de reconstrução do LCA com a utilização de enxerto do TP, caracterizando suas vantagens e desvantagens.</p> <p><strong>Método:</strong> Para a seleção dos trabalhos foi utilizada a base PubMed, empregando o seguinte algoritmo booleano: "anterior cruciate ligament"[title] and reconstruction[title] AND patellar[title]”.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Esta revisão contou com 8 artigos publicados entre os anos de 2017 e 2021 e que atenderam adequadamente a estratégia de busca previamente estabelecida. Síntese de evidências: Com base nos ensaios clínicos revisados, foi possível constatar que a reconstrução do LCA utilizando enxertos do TP, o que inclui o enxerto osso - tendão patelar - osso (BPTB), é atualmente a técnica mais indicada.</p> 2022-04-07T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/306 Tratamento da doença de Fuchs: revisão de ensaios clínicos 2022-03-02T15:04:26-03:00 Tiago Rezende Savian naodisponivel@email.com Nelson Monteiro da Silva naodisponivel@email.com Saulo Yudi Sakashita naodisponivel@email.com Guilherme Vita Pôncio de Lacerda Ribeiro naodisponivel@email.com Giovanna Sabage naodisponivel@email.com Pedro Henrique Fragoso Alves naodisponivel@email.com Raphael Macedo de Melo Silva naodisponivel@email.com Beatriz Queiroga Victor naodisponivel@email.com <p><strong>Introdução:</strong> A distrofia corneana endotelial de Fuchs (FECD) é uma doença geneticamente heterogênea, acompanhada de dano irreparável ao endotélio corneano. A FECD é caracterizada por um espessamento da membrana de Descemet, com perda acelerada de células endoteliais inicialmente no centro da córnea e, posteriormente, em sua periferia. O defeito em mosaico do endotélio da córnea faz com que as células respondam com proliferação e migração, resultando em anormalidades no tamanho uniforme (polimegatismo) e variações na forma hexagonal (pleomorfismo). A mais recente Classificação Internacional de Distrofias da Córnea categoriza a FECD em dois tipos: 1 - FECD de início precoce (a mais rara); e 2 - FECD de início tardio (a mais comum).</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Realizar uma revisão da literatura buscando sintetizar as evidências clínicas relacionadas aos tratamentos da FECD.</p> <p><strong>Método:</strong> Para a seleção dos trabalhos foi utilizada a plataforma PubMed, empregando a seguinte estratégia de busca: fuchs[title] AND dystrophy[title]. Apenas ensaios clínicos publicados nos últimos cinco anos foram considerados nesta revisão.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Foram selecionados 11 artigos que discutiram adequadamente os tratamentos e estratégias de manejo da doença. Síntese de Evidências: O principal método de tratamento da FECD é a ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet (DMEK), considerada o padrão-ouro para o manejo da doença. Ainda, foram apresentadas diversas ferramentas e estratégias capazes de melhorar os parâmetros relacionados ao procedimento, ou mesmo permitir a avaliação da evolução da doença.</p> 2022-04-07T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/307 Fratura de escafoide evoluindo com SNAC (colapso avançado não-união do escafoide): tratamento com artrodese de quatro cantos 2022-03-04T18:24:37-03:00 Lucas Traldi Jubran naodisponivel@email.com Fábio Duque Silveira naodisponivel@email.com <p><strong>Introdução:</strong> O SNAC (colapso avançado não-união do escafoide, do inglês Scaphoid Nonunion Advanced Collapse), é uma das complicações após fraturas do escafoide que costuma ser tratada de forma conservadora. No entanto, trata-se de uma das principais causas de artrite do punho, enfrentada com frequência pelo cirurgião da mão e que, nestes casos, deve corrigi-la cirurgicamente.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Relatar um caso de SNAC atendido em nosso Serviço e tratado cirurgicamente com a técnica de artrodese de quatro cantos.</p> <p><strong>Método:</strong> Trata-se do relato do caso único de um paciente do sexo feminino, caucasiana e com 60 anos de idade, atendida no Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Ana Costa, localizado na cidade de Santos – SP. Relato do Caso: O mecanismo de trauma decorreu de uma hiperextensão de punho, fraturando o escafoide e evoluindo com SNAC, com colapso avançado do escafoide por necrose. A paciente apresentava sintomatologia dolorosa e limitação de amplitude de movimento de punho. Para a cirurgia, após o preparo inicial foi realizada uma incisão em “S” na região dorsal do punho direito de cerca de 9 centímetros. Depois da divulsão por planos, foi observada artrose do estiloide e pseudo-artrose do escafoide. Nesse momento, foi realizada a ressecção do escafoide e cruentização da articulação mediocárpica com a utilização de uma lâmina de serra. Utilizou-se fio de Kirschner 1.5 visto que, durante o ato cirúrgico, foi necessário realizar a fixação provisória devido à instabilidade articular, posicionando os ossos do carpo para artrodese. Realizou-se então a fresagem, seguida da colocação de placa de artrodese de quatro cantos e passagem de cinco parafusos, observando-se boa fixação. Após esta etapa, foi utilizado um enxerto ósseo no foco da artrodese, seguida da retirada do fio, permitindo a observação de bom posicionamento da artrodese na radioscopia. Por fim, realizou-se hemostasia local, limpeza com soro fisiológico à 0,9% e sutura por planos, sendo a região coberta com um curativo estéril e tala gessada.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> A artrodese de quatro cantos mostrou-se uma técnica cirúrgica eficaz para tratamento da fratura do escafoide com evolução para SNAC.</p> 2022-04-07T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/308 Reflexões acerca dos professores de enfermagem no ensino da liderança 2022-03-15T09:23:35-03:00 Bianca Batista de Siqueira biancasiqueira.19@usp.br Chennyfer Dobbins Abi Rached chennyfer@usp.br O presente artigo buscou trazer a tona o papel dos professores de graduação de enfermagem no ensino da liderança. Destaca-se que o ensino da liderança fortalece e empodera o aluno no processo de transição discente-profissional. Alunos que tem o privilégio de exercer a liderança durante a graduação tem mais facilidade para exercer essa importante competência enquanto enfermeiro. O professor precisa compreender e entender os conceitos e a história da liderança para que se aproprie do ensino e desenvolvimento da mesma de maneira saudável e eficaz. 2022-04-07T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/309 Reflexões sobre o testamento vital como diretiva antecipada de vontade, na perspectiva do princípios da autonomia e da dignidade de vida 2022-03-16T18:07:46-03:00 Carla Melissa Costa Araújo naodisponivel@email.com Caroline Araújo da Silva naodisponivel@email.com Estefani Siqueira de Oliveira naodisponivel@email.com Gabriela Gomes Leite Scwinzekel naodisponivel@email.com Lucas Gonçalves Vidal Soares naodisponivel@email.com Yane da Silva Nunes naodisponivel@email.com João Gregório Neto naodisponivel@email.com O estudo teve como objetivo compreender sobre a diretiva antecipada de vontade na ótica do testamento vital, destacando os princípios éticos da autonomia da pessoa e da dignidade humana. A pesquisa foi realizada por meio de uma revisão de artigos científicos, utilizando o método da pesquisa bibliográfica, nas bases de dados do portal Regional da Biblioteca Virtual em Saúde da Organização Pan-americana de Saúde entre os anos de 2011 a 2021. Após o levantamento dos resultados foram analisados dez artigos científicos. Observa-se a necessidade de expandir as discussões acerca da compreensão do testamento vital, no âmbito social, jurídico e acadêmico, a fim de contribuir com sua legitimação, externando a autonomia do paciente mediante a esse contexto tão conflituoso, que é a terminalidade de vida. Copyright (c) 2022 International Journal of Health Management Review https://ijhmreview.org/ijhmreview/article/view/310 Doença de Kienbock (necrose avascular do osso semilunar): tratamento com técnica de Graner 2022-04-02T07:55:07-03:00 Lucas Traldi Jubran naodisponivel@email.com Fábio Duque Oliveira naodisponivel@email.com Thiago Precioso Marques naodisponivel@email.com <p><strong>Introdução:</strong> A osteomalácia do semilunar é o resultado de uma interrupção traumática do suprimento sanguíneo para o referido osso, com uma perturbação subsequente de sua nutrição, caracterizando a Doença de Kienböck (DK). A etiologia da doença ainda é controversa, e dentre as principais teorias sobre o mecanismo para o desenvolvimento da osteonecrose do semilunar inclui-se fratura de compressão primária, ruptura traumática do suprimento sanguíneo extra-ósseo do semilunar e carga repetitiva do osso, além da presença de êmbolos.</p> <p><strong>Objetivo:</strong> Descrever um caso de DK tratado cirurgicamente em nosso Serviço através da ressecção da fileira proximal do punho seguida de artrodese.</p> <p><strong>Método:</strong> Trata-se do relato do caso único de um paciente atendido no Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Ana Costa, localizado na cidade de Santos – SP. Relato do Caso: Paciente do sexo masculino, 40 anos de idade e caucasiano, trabalhador rural, foi admitido em nosso Serviço com relato de dores no punho direito, mão dominante do paciente, e limitação funcional. Relatou história de trauma prévio em punho, todavia sem tratamento cirúrgico. Após avaliação clínica e com o advento de imagens radiográficas, a equipe chegou ao diagnóstico de DK. Foi realizado então tratamento cirúrgico, que consistiu em uma grande ressecção da fileira proximal do punho associada a uma artrodese do punho.</p> <p><strong>Conclusão:</strong> A técnica utilizada demonstrou sucesso para tratamento da DK no paciente aqui relatado, sem a ocorrência de complicações ou quaisquer intercorrências que desabonem sua utilização.</p> 2022-04-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022