Púrpura trombocitopênica idiopática com evolução para hematoma intraparenquimatoso grave: relato de caso
PDF

Palavras-chave

Pediatrics
Thrombocytopenic purpura
Bruise
Diagnosis
Treatment

Como Citar

Silva, B. M. da, & Lutti, J. R. (2021). Púrpura trombocitopênica idiopática com evolução para hematoma intraparenquimatoso grave: relato de caso. International Journal of Health Management Review, 7(3). https://doi.org/10.37497/ijhmreview.v7i3.281

Resumo

Introdução: A púrpura trombocitopênica idiopática (PTI) é uma síndrome caracterizada por trombocitopenia persistente, associada à presença de um fator antiplaquetário circulante, que resulta na destruição das plaquetas pelo sistema reticuloendotelial seguida de sangramento mucocutâneo. Sangramentos parenquimatosos são raros, especialmente em crianças, e dificilmente são decorrentes de PTI. Objetivo: Relatar um caso de PTI com evolução para hematoma intraparenquimatoso grave, atendido em nosso Serviço. Método: A criança relatada foi atendida no Serviço de Pediatria do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus – HUSF, situado em Bragança Paulista – SP. A responsável pela criança autorizou a utilização das informações contidas no prontuário, já arquivado no Serviço, por meio da assinatura de termo de consentimento livre e esclarecido. Relato do Caso: Tratou-se de uma criança de 10 anos de idade, com diagnóstico prévio de PTI, e que evoluiu para um hematoma intraparenquimatoso. A paciente permaneceu hospitalizada por 5 dias com piora do quadro geral, sendo iniciado protocolo de morte encefálica no 5º. dia de internação. Conclusão: A púrpura trombocitopênica idiopática é uma doença rara, afeta principalmente crianças na sua forma imune, e que pode evoluir para hemorragia intracraniana. O manejo dos casos evoluiu consideravelmente nos últimos anos, e atualmente os pacientes recebem doses menores de esteroides, ficam menos dias no hospital, e o número de esplenectomias tem diminuído consideravelmente sem aumentar o sangramento ou piorar a evolução clínica. Além disso, observou-se que idade menor que 5 anos e história de infecção antes do diagnóstico foram relacionados a maiores chances de recuperação. A despeito da evolução ruim da nossa paciente, chama-se a atenção para a necessidade de um rápido diagnóstico e manejo adequado da hemorragia intracraniana, que normalmente é realizado pela equipe de neurocirurgia em trabalho conjunto com a pediatria e a hematologia.
https://doi.org/10.37497/ijhmreview.v7i3.281
PDF

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;

O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);

A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);

É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) em http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html