Validação de um procedimento operacional padrão: protocolo de avaliação do freio lingual com escores para bebês
PDF

Palavras-chave

Maternidade
Odontopediatria
Tecnologia
Estudos de Validação.

Como Citar

Quaglio, C., & Abi Rached, C. D. (2019). Validação de um procedimento operacional padrão: protocolo de avaliação do freio lingual com escores para bebês. International Journal of Health Management Review, 5(1). https://doi.org/10.37497/ijhmreview.v5i1.151

Resumo

Várias são as alterações encontradas nas cavidades orais dos recém-nascidos, dentre elas, as alterações do freio lingual ou anquiloglossia, também conhecida como “língua presa”. A anquiloglossia é uma anormalidade congênita que limita os movimentos da língua e pode acarretar dificuldades na amamentação, deglutição, fala e desenvolvimento mandibular. Na população há uma incidência de 0,2 a 12% de alterações no freio lingual, essa divergência de valores é dificultada pela escassez de protocolos padronizados para sua identificação. Protocolos são importantes instrumentos para o enfrentamento de diversos problemas na assistência e na gestão dos serviços. Um modo muito utilizado para se padronizar é feito por meio dos Procedimentos Operacionais Padrão (POPs) que são instruções detalhadas descritas para alcançar a uniformidade na execução de uma função específica, são apoiados em bases científicas e ajustados sempre que necessário. Esse estudo teve como objetivo checar a validação do Protocolo de avaliação do Frênulo da língua com Escores para Bebês (PAFLEB) em uma maternidade do município de São Paulo. O PAFLEB, mais conhecido como “Teste da Linguinha”, foi instituído como obrigatório pelo Ministério da Saúde (MS) em 2014, para todas as maternidades do país. Esse protocolo identifica se o recém-nascido apresenta a anquiloglossia. Foi utilizado questionário com questões abertas e fechadas. Não houve validação do teste da linguinha naquela instituição. De acordo com os avaliadores o protocolo é muito extenso, complicado e desnecessário. A sugestão desse estudo é que Protocolos sejam validados em maior número de locais possíveis antes de virarem leis.

https://doi.org/10.37497/ijhmreview.v5i1.151
PDF

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;

O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);

A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);

É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) em http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html